Literatura do Amor

Meu amor agora vive nas tintas
Entre linhas
Mudando sempre de linha
Até virar páginas
Escrevendo sobre desgraças
Ponto!
Agora passa essa linha
Para costurar o peito rasgado
Vírgula!
Para descansar e respirar fundo
Espreguiçar a mente pra escrever novos conteúdos
Contudo...
Ponto e vírgula!
É dessa que um novo amor entra na minha vida
Para me dar belos motivos para escrever belas poesias
Reticências!
A parte em que ultrapassamos a paixão
E enxergamos a clareza do coração
Etc...
Já se conhece a história de cor
Vou pulando mais um capitulo mal escrito
nas páginas do mesmo livro
Resiliência!
Prontos! Quem nunca?!
Nesse oceano navego, ou melhor, sou arrastado
Dentro de uma garrafa totalmente bêbado
Rezando que as tempestades se acalmem
E que as ondas, com a ajuda dos ventos,
Me devolvam ela nos meus pensamentos..


Poha, fudeu. Me lembrei dela...
Erro!!!
O pior é que amor fracassado não leva corrector.

Redator, bota aí um ponto de exclamação!

Preciso de um caderno novo...